Já aconteceu de você passar por uma situação extremamente delicada onde literalmente “a luz apagou” e te parecia de andar no meio de uma densa neblina sem conseguir encontrar a resposta para seus problemas? 

Se respondeu negativamente meus parabéns mais sinceros se, pelo contrário, já passou por isso ou atualmente está enfrentando uma época muito desafiadora tenho uma ótima notícia para você: se existe um problema, existe também uma solução.

 

Sim, entendeu bem, a solução está lá em frente te esperando, talvez não seja evidente e clara porque ainda presa no seu “sistema mental”, mas saber que existe é um alivio.

 

O Professor Giulio Nardoni, inventor do método Problem Solving Stratégico (PSS), atualmente a tecnologia mais avançada para encontrar soluções realmente eficazes e eficientes em relação aos problemas mais complexos, sugere alguns comportamentos uteis para identificar a solução melhor por cada desafio ou problema.

 

Hoje em dia o PPS se aplica a qualquer problema e tem o maior sucesso no contexto executivo e empresarial proporcionando rapidamente satisfação e resultados.

 

Muitas pessoas ainda acreditam que a solução aos problemas que nos acompanham diariamente e por muito tempo se esconda atrás daquela “intuição genial” que vem ou não vem ... Destino ou sorte que seja, o mais importante é preparar o caminho para ter uma desculpa que possa justificar a falta de ação.

A verdade é muito diferente: o que habitualmente chamamos de “genialidade” na realidade é uma intuição induzida, facilitada e acompanhada por um processo sistemático que nos leva a abandonar nossos vínculos mentais para explorar um novo território e encontrar as melhores soluções que respondem as nossas duvidas e, consequentemente, ganhar nossos desafios atuais e futuros.

 

O Modelo de Problem Solving Strategico nos permite de acessar os recursos da nossa mente que ficaram momentaneamente “adormecidos” ampliando nossa capacidade de inventar e criar novas soluções.

 

Muitas vezes quando enfrentamos uma dificuldade procuramos encontrar uma solução no passado” lembrando nossas experiências pessoais ou profissionais e comportamentos que, em uma situação parecida a que estamos vivendo, deram um resultado satisfatório. Infelizmente nem sempre esta solução produz o resultado esperado.

Chegamos perto da solução, utilizamos a mesma estratégia limitando nossos recursos internos e focando sobre um determinado comportamento que no passado deu resultado, mas que hoje traz essencialmente insatisfação e stress para não ser tão eficaz como já foi. Mais aplicamos esta estratégia, mais a dificuldade inicial não encontra solução, pelo contrário é cada dia mais complicada ainda, se tornando um problema maior.

 

Quando isto acontecer é útil mudar a abordagem e utilizar os 7 passos pela solução dos problemas (PPS) que o Professor Giulio Nardoni nos sugere.

 

O primeiro passo é reconhecer que não existe uma única realidade, mas tantas quantas as interações com tudo aquilo que nos rodeia: resumindo “cada um constrói a realidade que logo depois enfrenta”. 

Considerando este pressuposto eis aqui brevemente os 7 passos a seguir:

 

1) Definir o problema de forma mais concreta e detalhada possível.

Colocando o foco sobre como o problema se apresenta atualmente e como influencia sua vida é preciso imediatamente se fazer 5 perguntas:

- Qual é efetivamente o problema?

- Quem está envolvido neste problema?

- Onde acontece o problema?

- Quando si manifesta este problema?

- Como funciona este problema?

 

Uma vez que respondeu todas as questões é interessante se perguntar como outras pessoas reagiriam na mesma situação, quando fazemos esse exercício mental ampliamos nossa percepção colocando novas perspectivas ao problema.

Se por acaso o objetivo for melhorar uma situação atual e não resolver um problema real (como por exemplo melhorar a situação financeira, aumentar a produtividade de uma equipe de trabalho, etc.) focaremos imediatamente o objetivo a ser alcançado, para depois analisar as carências ou os desafios imediatos que precisam ser encarados para obter o resultado desejado.

Definir o problema é o passo fundamental, portanto não tenham pressa, utilizem o tempo que precisarem porque o tempo dedicado para a análise inicial será tempo poupada nas etapas sucessivas rumo ao sucesso desejado. O mesmo Napoleão dizia: ”Tenho pressa, por isso nado muito devagar.”

 

2) Harmonizar o objetivo. 

Uma vez definido claramente o problema, o passo sucessivo é aquilo de concordar concretamente todas as mudanças que precisa fazer e que, uma vez realizadas, os farão afirmar com toda certeza que encontraram a solução.  

Em palavras simples é preciso estabelecer fatos evidentes que seja a prova concreta que o resultado esperado foi atingido.

Precisa dedicar um tempo importante para esta etapa, tanto importante como a primeira porque permite de estabelecer metas concretas que irão funcionar como “gps” para nos indicar se estamos no caminho certo respeitando os prazos marcados.

 

3) Individuar e avaliar de todas as soluções tentadas até agora para solucionar o problema e também das tentativas que fracassaram. 

Focar nas tentativas que deram errado e não ajudaram a alcançar o resultado esperado nos evita procurar novas soluções antes de ter analisado tudo o que não funcionou.

Isto permite de:

- Individuar o que precisamos evitar, porque não funcionou e, consequentemente, direcionar o foco em outras soluções alternativas que podem se tornarem uteis. 

- Evidenciar o que funcionou bem até agora nos ajudará a analisar se podemos aplicar as mesmas soluções ao problema atual.

 

4) A técnica de como piorar.

A primeira vista esta pode aparecer como uma técnica absurda, mas na realidade respondendo a esta questão: “Se quisesse tornar a situação ainda pior em vez de melhorá-la, como poderia fazer?” nos ajuda a ampliar a escolha de possibilidades e, de fato, criar uma aversão contra todas as possíveis ações que não deram certo no passado. Isto tornaria ainda mais evidente a necessidade de uma mudança, fato que aumenta a motivação para conseguirmos a alcançar os resultados esperados.

 

5) A técnica do cenário além do problema.

Ao fim de facilitar a solução do problema utilizamos outra estratégia.

Utilizando esta técnica soltamos a imaginação para que veja o cenário, para depois, em outro momento sucessivo, selecionar todas as medidas concretamente realizáveis.

Em outras palavras precisamos ver “no futuro” descrevendo tudo o que percebemos, sentimos e observamos quando temos alcançado o resultado esperado.

Fazendo esse exercício de “visualização do futuro” é possível ver também quais são os efeitos colaterais indesejados do sucesso do nosso projeto que deverão ser solucionados com antecedência.

 

6) A técnica dos pequenos passos.

Cada viagem, mesmo a mais cumprida começa dando o primeiro passo.

A maior dificuldade muitas vezes é identificar qual seja o primeiro passo a ser dado e, para fazer isso, podemos imaginar a escalada de uma montanha utilizando a técnica do escalador.

O escalador que deseja chegar ao topo de uma montanha alta alcançará o objetivo passo após passo, mas quando estuda o caminho a seguir, no lugar de começar da base da montanha ele começa do alto e volta atrás até o ponto de partida da escalada.

Esta técnica ajuda a evitar de planejar passos que podem desviar do objetivo final e permite individuar o caminho mais rápido, certo e concretamente eficaz para solucionar o problema.

Falando simplesmente o objetivo final é segmentado e várias metas ou micro objetivos (passos) observados olhando do topo da montanha (objetivo) até a base da mesma (primeiro passo).

Visualizar-se no futuro tornará muito mais simples a observação do caminho feito e a descrição em detalhe de cada passo começando do ponto final (o topo da montanha) que se deseja alcançar e voltando atrás até o ponto inicial (primeiro passo na base da montanha). 

Em outras palavras focamos na solução para chegar ao problema utilizando um ponto de vista totalmente oposto ao que se utiliza habitualmente para resolver os mesmos.

 

7) Alinhar progressivamente o foco.

Existem problemas complexos que requerem mudanças de atitude ao longo do caminho e mais soluções. Neste caso é mais proveitoso enfrentar o problema mais “acessível” naquele momento, colocando os outros em “lista de espera”.

Uma vez que se soluciona o primeiro problema, se encara o segundo e assim por diante mantendo sempre atualizada a situação geral e as possíveis interações entre problemas interligados.

Desta forma é possível alinhar progressivamente o foco, tendo sempre claro onde se deseja concretamente chegar para poder saber quando o objetivo foi alcançado.

Mantendo esta postura e atenção se consegue agir de forma dinâmica e enfrentar todas as mudanças que se apresentarão ao longo do caminho até chegar a solução previamente determinada.

Utilizando este método se evitam as armadilhas que a mente cria, alcançando resultados surpreendentes de forma eficaz e rápida. 

 

Vocês estão realmente preparados para isso?

 

®© Diego Trambaioli

Foto: Google Search | Google Search

 

P.S. Se achar que esta postagem possa ser útil para seus amigos, utilize os botões aqui em baixo para a compartilhar nas redes sociais. O apreciaria muito, obrigado.

Mental Coach de Alta Performance
Mental Coach de Alta Performance