A maioria das crianças do mundo quando começa a jogar futebol sonha de ser um grande atacante porque o prazer de marcar o gol é bem maior daquilo que tem em evitá-lo, porque os grandes atacantes chamam a atenção do público e sublimam a arte do jogo do futebol.

Deixando de lado o “romanticismo” muitas vezes os atacantes são os jogadores mais celebrados e amados pela torcida e, embora existam muitos zagueiros fundamentais no jogo quanto um atacante, o mito das camisas número 9 e 10 (para quem ainda viveu a época da numeração do 1 até o 11) é algo único que passou de geração em geração ao longo das décadas. 

O gol é o momento fundamental do jogo do futebol, a hora onde se juntam emoções e paixões em um rápido instante, por essa razão os atacantes são amados, procurados, e muitas vezes extremamente bem pagos.  

 

É evidente que existem vários tipos de atacantes que se diferenciam por caraterísticas físicas e de jogo, mas independentemente do tamanho, força ou agilidade alguns deles conseguem sempre ser protagonistas escrevendo a história, em quanto outros se limitam a saborear breves períodos de gloria e sucesso. 

 

Na posição de amante do futebol e Mental Coach me perguntei e pergunto para vocês: “Cristiano Ronaldo nasceu ou tornou-se craque?”

Minha resposta é que Cristiano Ronaldo tornou-se craque e mentalmente todos podem fazer como o atacante português. Quando o atacante, como qualquer outro atleta conhece suas capacidades, explora o próprio potencial, sabe onde quer chegar e cria as condições para isso tudo acontecer é muito provável que o sonho se torne realidade. Um observador pouco atento irá atribuir tudo isso a natureza, a sorte, a algo de “sobrenatural” quando na verdade o sucesso é filho da determinação, do sacrifício e da aplicação repetida e constante. 

 

A confirmação dessa minha opinião sugiro ler o livro de Charles Duhigg “O Poder do Hábito” onde resulta evidente como hábitos saudáveis possam ajudar a alcançar o nível da excelência. 

Também tenho consciência que craques como Cristiano Ronaldo, Lionel Messi ou Neymar Jr, além da força mental possuam uma técnica extraordinária e capacidades táticas de alto nível, mas como qualquer outra habilidade, eles continuam as treinando diariamente e melhoram dia após dia porque possuem objetivos claros e bem definidos, apesar de ser os melhores jogadores do mundo.

 

Eu disse que mentalmente qualquer atleta pode ser um craque como Cristiano Ronaldo porque como Mental Coach tenho a oportunidade de observar com atenção a atitude do atleta e de forma especifica do atacante que, com o próprio comportamento e suas convicções determina a o próprio desempenho durante o jogo. 

Existem inúmeros potenciais craques na história do futebol (e talvez você conheça algum pessoalmente) que se deixam atingir pelas próprias crenças limitantes que provocam um inconsciente auto sabotagem que reduz a performance, diminui de nível os objetivos profissionais e impede de ter uma carreira profissional de altíssimo nível. 

Quantas vezes já ouviu dizer: “Tem qualidades de campeão, mas infelizmente falta a cabeça para fazer a diferença...”?

Voltando ao ponto quais são as diferenças entre um craque e os outros atacantes?

Respondendo de forma simples e óbvia poderia dizer que a mentalidade faz a diferença, mas é justamente atrás desta palavra que se esconde o segredo do verdadeiro campeão. 

 

Um atacante fenomenal precisa possuir grande técnica, inteligência tática, um excelente posicionamento, oportunismo, uma boa quantidade de egoísmo, uma ótima preparação física, altíssima autoestima, crenças especificas que alimentam continuamente a autoconfiança e sobretudo uma admirável força emocional e mental que o ajudam a determinar sempre objetivos extremamente claros e desafiadores. 

 

Escrever tudo isto fica muito fácil, com certeza todos os jogadores conhecem estes elementos, mas então porque existem poucos atacantes no mundo que conseguem fazer continuamente a diferença e são procurados para os melhores times do planeta ganhando salários que a maioria das pessoas desejaria receber?

Aqui sim que a resposta é simples: ser os melhores do mundo requer sacrifício, um sacrifício diário que a maioria dos colegas e torcedores não enxerga, um sucesso que tem um preço que muitos jogadores não são dispostos a pagar. 

Como Mental Coach garanto que muitas vezes a diferença entre um ótimo atacante e um craque é determinada pela mentalidade e por isto que afirmo que um atacante que possui boas qualidades, com um correto treinamento mental, pode se tornar um campeão e escrever a história.

Conversando com outros colegas de vários países, com base na minha experiência pessoal (viver e trabalhar em sete países diferentes garanto que amplia a forma de pensar...) e com as contribuições que desde os anos ’70 a psicologia esportiva nos oferece posso afirmar com toda certeza que um atacante fenomenal trabalha os seguintes aspectos: 

1) Definição clara dos objetivos a curto, médio e longo prazo. 

 

2) Analise das próprias crenças para aumentar a autoconfiança, manter elevada a autoestima e atualizar o “software” mental.

 

3) Foco total durante o treinamento diário, durante o treinamento alternativo e complementar que pratica por própria conta e acelera de até 5 vezes o tempo de aprendizagem e aperfeiçoamento da técnica. 

 

4) O próprio Mindset, isto é utilizar ferramentas e técnicas que o ajudam a gerenciar momentos tensos, aprender a se adaptar as situações externas durante o jogo e os treinamentos para criar em qualquer momento as melhores situações que favorecem uma performance de alto nível. 

 

5) A própria fisiologia com base em suas crenças fortalecedora e consciência de suas capacidades. 

 

6) A “fome de gols” alimentar a vontade de marcar um gol como meio para garantir o sucesso ao time e, consequentemente, aumentar a própria autoestima. 

 

7) Ancoragem positiva para fortalecer a própria segurança e se tornar mais forte e eficaz na hora de garantir uma performance de altíssimo nível.

 

8) Consciência plena, isto é criar as condições durante o dia para utilizar a atenção plena (mindfulness) aumentando a intuição que o ajuda a “prever” a jogada durante o jogo (o famoso sexto sentido do atacante que sabe onde a bola vai parar). 

 

Todos estes 8 aspectos são essenciais para alcançar grandes resultados, mas mesmo conhecidos muitas vezes não são praticados pela maioria dos atletas profissionais que, por consequência, não conseguem manter um altíssimo nível de performance ao longo de toda a carreira. 

 

Vamos ver em detalhe de que se trata e imagine estes 8 passos como a construção de uma casa:

1) Definir claramente os objetivos (fundamentas da casa)

Isto é o primeiro e fundamental passo em qualquer área da vida e mais ainda no futebol profissional de altíssimo nível, mas existem poucos atletas que sabem aquilo que querem de forma clara, a maioria deles sabe aquilo que não deseja (exemplo: onde não quer jogar, aquilo que não quer fazer, etc.) e desta forma coloca o foco, criando imagem, sobre coisas das quais deseja se afastar...

É uma pena que nosso cérebro para negar alguma coisa precisa antes criar a imagem dela. 

Existem também atletas que colocam objetivos esportivos que produzem stress, ou seja, que contribuem ao aumento da ansiedade reduzindo o nível da performance. 

Poucos atletas sabem determinar objetivos fortalecedores, poucos jogadores sabem que existem objetivos de prestação e objetivos de resultados que são muito diferentes entre eles e precisam ser convalidados ambos de forma correta. 

Sabendo gerenciar corretamente os próprios objetivos o futebolista pode sentir uma motivação extraordinária no lugar de uma pressão excessiva. 

 

2) Fortalecer as crenças (perceber o quanto a casa é única) 

Crenças radicadas determinam quem você é, aquilo que um atacante pensa de si mesmo, muitas vezes a nível inconsciente, pode fazer uma grande diferença na hora da performance (treinamento ou jogo) e transformar um ótimo atacante em um craque como Cristiano Ronaldo. 

Um grandíssimo atacante é fenomenal porque pensa de ser assim; a maioria das pessoas acredita que um craque seja 90% habilidade e talento, mas exemplos concretos e estudos efetuados sobre atletas a partir dos anos ’70 mostram que muitos jogadores de grande talento não alcançaram resultados importantes ao longo da carreira permanecendo na mediocridade. 

Muitos jogadores não reconhecem as próprias crenças limitantes ou mesmo quem as conhece não tem a coragem de mudar. Quando um atacante descobre as próprias crenças limitantes e tem a determinação de substituí-las com crenças fortalecedoras e mais produtivas faz o primeiro importante passo para se tornar um grande campeão. 

Aquilo que você pensa, você cria e aquilo que você cria torna-se sua realidade. 

 

3) Foco total (construção da casa).

Muitos jogadores subestimam a importância do treinamento clássico e desconhecem a contribuição essencial do treinamento “complementar” baseado na visualização, na imaginação e na percepção sensorial. 

O jogo é somente a soma do comprometimento diário, da determinação e da atenção que o atleta coloca no cuidado dos detalhes. O grande atacante sabe disso e se treina todos os dias utilizando as ferramentas dos treinamentos clássicos e complementares para fazer o próprio melhor nas melhores condições possíveis porque treinando desta forma melhora tecnicamente (chute, potencia, precisão, acerto, utilizo do pé “fraco”, jogo aéreo, etc), taticamente (posicionamento, utilização dos espaços, etc.) e fisicamente até 5 vezes mais rapidamente dos outros colegas que não possuem a mesma determinação.

 

4) Mindset (preparar a casa para enfrentar vários tipos de clima).

O grande atacante se prepara mentalmente para enfrentar qualquer tipo de mudança (ambiental, climática, técnica, tática e “humana” quando troca de time ou treinador) para poder aproveitar as próprias qualidades de adaptando as mudanças externas que não dependem dele. 

 

5) Fisiologia (aparência exterior da casa).

Provavelmente você conhece aquela frase que diz: “Aquele time já ganhou o jogo mesmo antes de pisar no gramado...” pois é isto existe também no caso do atacante que mostra postura, segurança e firmeza em suas capacidades acreditando realmente de ser um craque.

A postura tem uma dupla vantagem: aumenta a confiança do atacante e, ao mesmo tempo, reduz a segurança do adversário. 

 

6) Fome do gol (decoração da casa).

Muitas pessoas dizem que existem atacantes que nascem para marcar goles e outros não. É comum ouvir a frase: “A fome do gol você tem ou não tem!”. Esta é com certeza uma das crenças mais limitantes e falsas que um atacante pode ter. A “fome” do gol pode ser treinada e estimulada através da utilização de ferramentas e técnicas que ajudam a gerenciar as emoções e as atitudes.

O atacante que não sente continuamente o desejo e o tesão de marcar um gol nunca poderá ser um grandíssimo campeão. A “fome” do gol não tem que se tornar uma obsessão, mas sim ser uma motivação, fonte de energia e determinação. Juntar o poder da “fome do gol” com a capacidade de analisar positivamente os fatos (goles marcados e goles falhados) torna-se o combustível necessário para manter um excelente nível de performance ao longo da carreira.

 

7) Ancoragem (manter vivas todas as lembranças positivas que têm a ver com a casa).

Fixar momentos extremamente positivos e fortalecedores é um dos segredos para melhorar constantemente ao longo do tempo, ou seja, ter uma carreira de campeão. Através das ancoragens os grandes atacantes mantem a possibilidade de fornecer grandes performances na hora certa, isto é, durante o jogo. 

As ancoras são verdadeiros recursos que ficam na disponibilidade do atacante quando mais ele precisar. Existem ancoragens simples ou múltiplas que se somam naquele que é definido em Pnl “círculo de excelência”. 

Qualquer pessoa, não somente um jogador de futebol, pode “ancorar” os próprios momentos de sucesso e as próprias emoções positivas: é só uma questão de técnica e treinamento constante. 

 

8) Mindefulness (tranquilidade dentro e fora de casa). 

Já ouviu falar de atacantes tão concretos que pela quantidade de goles que marcam parecem até ter os olhos atrás da testa? 

Pois é, tais resultados de excelência se alcançam treinando a plena atenção com vários e simples exercícios que aumentam a capacidade de “viver o agora”, ou seja o momento atual, alcançar rapidamente a concentração e desenvolver a intuição que permite ao atacante de ganhar aquela fração de segundo que no terreno de futebol faz a diferença entre o bom jogador e o campeão. 

 

Diego e quando o atacante não marca goles durante 8-10 jogos como pode controlar a ansiedade e a pressão externa que a falta de goles provoca?

Simplesmente aplicando os 8 pontos que acabei de citar. O excesso de ansiedade pode ser causado por vários fatores que levam ao “enfraquecimento geral” e a um auto sabotagem inconsciente. Neste caso a atenta analise das próprias crenças e das atitudes, junto a pratica da plena atenção que leva a ter consciência do momento atual são “remédios poderosos” para voltar a marcar goles com continuidade. 

 

Como dizia Buda: 

“A Lei da Mente é implacável. 

O que você pensa, você cria;

O que você sente, você atrai; 

O que acredita torna-se realidade.”

 

®© Diego Trambaioli

Foto: Google Search 

 

P.S. Se achar que esta postagem possa ser útil para seus amigos, utilize os botões aqui em baixo para a compartilhar nas redes sociais. O apreciaria muito, obrigado.

Mental Coach de Alta Performance
Mental Coach de Alta Performance